• Comunicação - Gestão Maré - CAEQ 2020

Demanda dos funcionários do HC: A Luta Continua!

5 de Julho de 2020 - Campinas - SP

Divulgando a pedido! "A LUTA CONTINUA: 40% DE INSALUBRIDADE PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS DO HC UNICAMP! Em nota de “esclarecimento” em relação as denúncias que nós, profissionais de saúde do HC Unicamp, estamos fazendo sobre as nossas condições de trabalho (falta de testes e EPIs), o reitor afirmou não haver funcionários do grupo de risco na linha de frente do COVID-19. Temos diversos colegas, funcionários de saúde do HC Unicamp do grupo de risco que foram contaminados! Tendo inclusive, casos graves em UTIs. Assim, creio que não sou o único a perceber a quão mentirosa e absurda é a fala do reitor diante dos FATOS. Na mesma nota, ele segue seu discurso dizendo que já haviam sido testados 150 funcionários. 150 funcionários?! Isso não é nem 10% dos funcionários da HC Unicamp! Isto desconsiderando todos aqueles que também trabalham diretamente com o COVID, sem serem profissionais da saúde, como faxineiras e seguranças. Tenhamos claro, os testes que começaram a serem feitos nos profissionais assintomáticos se iniciaram só após as divulgações, panfletagens e mobilização dos funcionários contra a falta de testes e EPIs. Coincidência ou medo, caro reitor? Também, após as nossas denúncias, para fingirem que se preocupam com nossa saúde, a reitoria nos encaminhou as "medidas de segurança após contato com confirmado COVID" divulgadas junto ao DSO. Vejamos rapidamente que grande “ajuda” nos trouxeram! As medidas são: 1-Observar sintomas (como já dissemos na denúncia anterior, 70% da população é assintomática) 2-Lavar as mãos (Era só o que nos faltava, um físico ensinando aos profissionais de saúde que é preciso lavar as mãos!) 3-Usar máscara por 14 dias (assim, mesmo contaminados, devemos continuar trabalhando?) 4-Limpar frequentemente as superfícies dos locais de trabalho (estamos com um número muito abaixo do que necessário de funcionários, a quantidade de trabalho é cada dia maior, mal temos tempo de atender os pacientes, que dirá limpar superfícies frequentemente) 5-Praticar distanciamento social de 2 metros (Obrigada pela sugestão, senhor reitor, faremos isso quando estivermos atendendo uma PCR (parada cardiorrespiratória para os físicos) 6-Evitar aglomerações em copas e postos de enfermagem (Fica um pouco difícil quando a copa é dividida entre médicos, enfermeiros, equipe de limpeza, fisioterapeutas em um espaço de 2 m2! O senhor, como físico, deveria saber que “dois corpos não ocupam o mesmo espaço”). Pelas orientações, podemos ver o tipo de atenção que a reitoria dá ao trabalho dos funcionários de saúde... Vemos tantas propagandas sobre as doações de dinheiro e materiais feitas à Unicamp, mas não sabemos para onde este dinheiro todo está indo. Toda semana há algo em falta no hospital, notas e mais notas sobre contingenciamento de materiais e quando questionado sobre o assunto o discurso é de que “está tudo bem e preparado para enfrentar a pandemia por meses!” Bom, sabemos que os containers para os óbitos estão preparados, só esperamos não ter nenhum de nós lá dentro qualquer dia...Não se enganem colegas! Os testes que começaram a serem feitos nada mais são do que resultado da nossa luta! Por isso, não devemos recuar, não aceitaremos migalhas! Sabemos que só os testes que têm sido feitos não são suficientes, visto que os que voltam a trabalhar após o contágio não são mais testados, mesmo tendo sido afastados por um tempo curtíssimo, chegando a ser menos de 10 dias! Não nos calaremos diante aos absurdos que vêm acontecendo, mesmo antes da pandemia, e que se agravaram. Vamos continuar lutando por condições dignas de trabalho! Já passou da hora de ganharmos a insalubridade de 40%! Quem já teve um colega, ou você mesmo, que contraiu a doença, que cuidou de um paciente que positivou após dias em contato sem o uso de EPIs para evitar a contaminação por aerossol, teve um risco de contaminação muito maior do que quem esteve utilizando essa paramentação desde o início porque estava tratando de paciente já diagnosticado com COVID. Que fique claro, todos nós, funcionários do HC Unicamp, estamos correndo risco, e por isso, o direito é de todos!Seguimos a espera de uma posição da CIPA sobre tudo o que vêm acontecendo. Afinal, para que serve seus benefícios se não para assegurar a saúde e a vida do trabalhador? Onde está o pronunciamento formal dos órgãos responsáveis pela insalubridade? Se decidirmos parar de trabalhar, a responsabilidade pela população ficar sem atendimento nos hospitais será de todos aqueles que estão nos obrigando a trabalhar nestas condições absurdas!

Nenhum passo atrás dos direitos dos profissionais da saúde! 40% de insalubridade para todos os funcionários do HC Unicamp! 40% de insalubridade para todos os funcionários da saúde do Brasil! Viva a luta dos profissionais da saúde!"

1 visualização

© 2020 por Gestão Maré - CAEQ Unicamp.

  • Facebook - CAEQ Unicamp
  • Instagram - CAEQ Unicamp
  • Twitter - CAEQ Unicamp